Eu sei que você é um escritor: ouse viver pelo seu sonho



Viver sem sonhos é um desperdício. Eu sei do que estou falando, pois vivi a maior parte de minha vida sem ter um sonho. Ou melhor, eu tinha um sonho, um grande sonho: ser escritor. Mas ainda não sabia, da maneira intensa e inabalável que sei hoje, o quanto eu queria ser escritor. Passei muitos anos perdido, pulando de galho em galho, de ilusão em ilusão, sem rumo.

Para onde ir, quando não se sabe onde se quer chegar? Para traçar um caminho no mapa da vida, é necessário, antes de tudo, descobrir a si mesmo - e esta é uma tarefa das mais difíceis. Como saber quem nós somos? Sim, você sabe o seu nome, onde nasceu, com quem vive, qual a sua profissão… Mas quem, de verdade, é você? Lá dentro do seu íntimo, existe alguém asfixiado, uma pessoa oculta, escondida atrás de uma máscara exterior, atolada em compromissos e exigências do mundo exterior.

Acredito que, para descobrir quem é essa pessoa sufocada, é preciso se perguntar: o que eu faria com a minha vida, ou gostaria de fazer, se todas as demandas do cotidiano estivessem supridas? Por exemplo: se minha saúde estivesse em perfeitas condições; se meus recursos financeiros fossem totalmente suficientes para mim e minha família, sem que eu precisasse trabalhar nunca mais; e se todos os problemas do meu dia a dia - seja com a manutenção do carro, com o pagamento da conta de luz ou com o banho e tosa do cachorro - estivessem plenamente resolvidos - então o que eu faria? É esta pergunta que o levará ao encontro de si mesmo.

Muitas pessoas diriam que, talvez, fossem buscar uma ocupação que faça sentido em suas vidas. Perceba que não precisa ser uma ocupação que gere salário, rendas ou lucros: afinal, você já tem muito dinheiro. Você é livre para fazer o que quiser com a sua vida - fazer o que gosta. Algo com significado para o seu íntimo daria sentido a uma vida vazia. Quando nossas necessidades materiais estão satisfeitas, este é o verdadeiro momento em que descobrimos quem somos e o que queremos.

Na falta de necessidades materiais, que busca nos move? Uma busca espiritual; uma jornada ao encontro de nós mesmos, daquela pessoa oculta que nunca havia ousado se manifestar nem tentar ser ouvida. Pois bem: agora ela não apenas pode, ela deve ser ouvida. Aquela pequenina pessoa escondida está livre para se tornar um gigante. E esta pessoa é você.

Trilhando essa jornada do herói, você receberá um convite à aventura. A princípio, terá medo. Irá recusar o chamado. Mas as coisas ao seu redor vão mudar. Você enfrentará testes. Terá um mentor. Fará amigos e inimigos. Você vai tentar viver sem escutar o seu verdadeiro eu, mas perceberá que não é mais possível. Em determinado momento da sua vida, perceberá que o tempo passou e você já está em um ponto em que não há mais volta: você precisa decidir quem é você de verdade.

Você pode ser quem você quiser: mecânico, executivo, balconista, vendedor, ilustrador, músico, dançarino, técnico de informática, influenciador digital, programador, arquiteto, educador físico, empresário, nutricionista, padeiro, magistrado, ator, piloto, publicitário, jogador de basquete, trader na bolsa de valores, astronauta, agricultor, cirurgião plástico, radialista, professor, youtuber, construtor… Pai, mãe, filho, filha, amigo, amiga… Você pode ser ninguém, pode ser qualquer um, pode ser mais um, pode ser único, pode ser especial, pode ser extraordinário. E pode até ser, simplesmente, você mesmo.

O importante é que você viva pelo seu sonho, pelos seus desejos emocionais mais profundos - pois são eles que definirão quem é o seu verdadeiro eu. Aproveite qualquer dia da semana. Dê uma hora, ou duas, de folga à sua mente. Pare, respire fundo. Apague as luzes do quarto, fique em silêncio. Vá correr no parque. Ou simplesmente sente no banco da praça e contemple as nuvens. Relaxe, inspire, expire, medite. Quem é você, em uma única resposta, direta e curta? Eu vivo pelo meu sonho. Eu sou escritor. Simples assim. E você?

Você também é um escritor, ou escritora - e lá no fundo sabe muito bem disso. Apenas ainda não conseguiu refletir calmamente sobre o assunto; ou não teve a oportunidade e a consciência necessárias para chegar a uma resposta. Mas, se você está lendo até aqui, então certamente tem uma pergunta. Talvez na sua jornada você ainda não tenha encontrado a opção certa, mas acredito sinceramente que a resposta - se já não está na ponta da sua língua - está muito próxima, subindo pela garganta. Vamos juntos criar histórias incríveis?

Comentários

Postagens mais visitadas